segunda-feira, 3 de março de 2014

Bacalhau à Contrabrás


                Séculos de experiência anónima nas cozinhas das famílias portuguesas firmaram o Bacalhau à Brás como jóia da nossa identidade gastronómica
Falo, naturalmente, desse prato maior da nossa cultura, ainda há poucos anos presente nas mesas mais exigentes e que agora se transformou num semi-aborto culinário, apadrinhado até, na sua versão mais vergonhosa, a das batatas fritas de pacote, por uma multidão de alegres chefs da nossa praça. Outra coisa nem seria de esperar, num país onde, bem contados, há seguramente mais "chefs" que cozinheiros; é a nossa versão pacóvia daquele Brasil de outrora onde havia mais "doutores" que doentes e mais "coronéis" que soldados...
Voltando ao Bacalhau à Brás do nosso contentamento, as várias fases gordas que entram na sua confecção arredam-no inevitavelmente de qualquer regime em que se pretenda restrição calórica, pelo que, e essa é a beleza deste regime que aqui relato, havia que analisar as receita e procedimentos tradicionais e modificá-los quanto bastasse para conseguir o melhor de dois mundos aparentemente estanques: o prazer da comida portuguesa e a leveza das baixas calorias.
Fiz então assim um Bacalhau à Brás de 300Kcal, o Bacalhau à Contrabrás:

Ingredientes (4 pessoas):

300g de bacalhau desfiado                                   -  240 Kcal
400g de batata em palitos “palha”                        -  360 Kcal
200g de cebola em aros                                       -    35 Kcal
2 dentes de alho                                                   -      6 Kcal
1 c.sopa de azeite + 1c.sobremesa (salada)          -  135 Kcal   
4 ovos (220g)                                                      -  328 Kcal
Sal, pimenta, salsa e louro
450g de alface                                                     -     54 Kcal
20g de azeitonas                                                  -     35 Kcal
Vinagre q.b.

Total :                                              1193 Kcal (298 Kcal/dose)

Preparação:

Escalde rapidamente bacalhau demolhado, podendo usar as partes finas e tamanhos menos nobres deste magnífico peixe, deixando os lombos para outras preparações. Retire peles e espinhas, desfie e reserve.
Refogue a cebola, alhos, pimenta e louro em azeite, junte o bacalhau desfiado, envolva e reserve.

Corte as batatas em palitos muito finos e 
coza-os em água e sal por cerca de cinco minutos, de modo a que fiquem um pouco duros, para que não se desfaçam. Esta operação é responsável pela redução de mais de metade da gordura do “Brás” tradicional.
Junte a salsa e os palitos de batata cozidos ao bacalhau, 

envolva, deixe cozinhar por mais um ou dois minutos e junte os ovos batidos  e temperados com sal.
Leve ao lume mexendo sempre deixando o ovo mal cozido, cremoso.
Sirva com azeitonas e alface.



6 comentários:

  1. É com prazer que assinalo o seu regresso às receitas - agora light - e desejo que o seu regime continue a dar-lhe os resultados que esperava. (com o seu bom senso, é impossível não resultar!)
    Boa sorte! mj

    ResponderEliminar
  2. Foi bom saber que o segredo estava nas batatinhas.... o que faz todo o sentido.
    Bem haja
    antonio

    ResponderEliminar
  3. Já experimentei. Mantém todo o sabor.

    ResponderEliminar
  4. Ainda vou experimentar, saliente-se a preocupação da conservação do prazer da comida, senão não há dieta que resulte de forma sustentada...também partilho a apreciação que faz à cerca de tanto chefe que para aí anda, uma praga...
    Quem não gosta dum blog com tal conteúdo ?

    ResponderEliminar
  5. Caro Luís, espero que esteja tudo bem consigo.

    Após assistir dezenas e dezenas de programas culinários em que mencionavam funcho em diversas receitas e sem nunca saber em que consistia, fiquei surpreendido por saber que este sempre esteve à minha frente no meu terreno.

    Tendo em conta que apresentou algumas receitas com o mesmo no seu blog anterior, gostaria de lhe colocar algumas questões, caso tal fosse possível.

    Visto que nunca o cultivei, depreendo que possuo a espécie "selvagem" do mesmo, até porque nunca arranjei nenhum com bolbo: http://gyazo.com/9324dfc8f5c2667b280398225bcec161

    Questões:

    1) É possível distinguir a espécie com bolbo ou selvagem só pelas folhas?

    2) No caso das selvagens, utiliza a raiz para algum propósito? AS folhas e o caule costuma aplicar com que finalidade?

    3) Relativamente às folhas, estas devem ser colhidas em que estado? A ou B?

    A ----> http://gyazo.com/f16fb737e1194a4c12c36e236883fcd1

    B ----> http://gyazo.com/f16fb737e1194a4c12c36e236883fcd1

    Obrigado pela atenção e um abraço,
    Jorge

    ResponderEliminar
  6. Que delícia de bacalhau!
    ______________________
    Ana Teles | Telita
    blog: Telita na Cozinha

    ResponderEliminar